• (11) 2958 0768
  • antares@antarescontabilidade.com.br

A Motorola lançou, na última quinta-feira (14), o primeiro celular com tela dobrável da marca, o Motorola Razr, em evento em Los Angeles, Estados Unidos. A boa notícia para os brasileiros é que o aparelho terá produção nacional e será vendido no Brasil, a partir de janeiro do ano que vem; o preço ainda não foi divulgado.

O Razr vai custar US$ 1.500 nos Estados Unidos, o equivalente a aproximadamente R$ 6.500, mas ainda não há informações sobre o preço do dispositivo no Brasil.

O dispositivo traz um display que dobra ao meio no padrão flip e resgata o design do antigo e popular Motorola V3, um dos maiores sucessos da empresa.

O novo Razr possui duas câmeras. Uma delas está localizada na parte traseira do telefone; a segunda se encontra na parte interna e pode ser acessada com o dispositivo aberto.

O design do aparelho chama atenção quando comparado com outras propostas de celulares dobráveis, como o Samsung Galaxy Fold e o Huawei Mate X. O Razr não se torna um tablet quando aberto, mas sim, fica mais compacto quando está fechado.

O Motorola Razr terá uma pequena tela na parte externa do aparelho, com resolução de 800 por 600 pixels. O espaço é reservado para a exibição de notificações de aplicativos, alertas de chamadas, SMS e para tirar selfies com o aparellho fechado.
O ponto negativo do celular fica por conta da bateria, de apenas 2.730 mAh, um valor muito baixo se levarmos em conta os padrões dos smartphones atuais. A justificativa para isso está na espessura do aparelho.

• Confira a ficha técnica do Motorola Razr

    Tela OLED dobrável de 6,2 polegadas e resolução de 2142 x 876 pixels
    Snapdragon 710
    6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento
    Bateria de 2.730 mAh
    Sistema operacional Android

Globalmente, o Razr também fará uma pré-encomenda em alguns países europeus já em dezembro, com uma data de vendas para janeiro. Além do Brasil, países como Austrália, Argentina, México e mercados asiáticos selecionados também encomendarão o telefone.

 

Fonte: olhardigital.com.br - 21/11/2019