• (11) 2958 0768
  • antares@antarescontabilidade.com.br

Como toda data comemorativa que envolve períodos de compras, a Black Friday ficou marcada por, além dos descontos, truques e golpes que enganam os consumidores. Uma das práticas mais utilizadas se dá pelo uso de sites falsos que, se passando por grandes varejistas, roubam os usuários.

Com o passar dos anos, os consumidores começaram a dar preferência por realizar suas compras em lojas online, ao invés de irem a um ponto físico de vendas. Porém, junto da facilidade de se adquirir produtos pela internet, vieram os golpes.

A aproximação da sexta-feira (29) desperta a atenção de diversas empresas de segurança, como é o caso da Check Point, que observou que, neste ano, o número de domínios que se passam por grandes lojas com o objetivo de enganar usuários aumentou em 233%.

Esses links são distribuídos principalmente por e-mail, passando despercebido em meio a inúmeras ofertas de desconto legítimas. Para entender a gravidade da situação, nos últimos seis meses, mais de 1.700 domínios semelhantes ao da Amazon foram registrados.

Mesmo antes da Black Friday, os cibercriminosos começaram a agir usando essa tática. No começo de novembro, uma campanha foi iniciada em nome da marca de óculos Ray Ban. O site enganoso prometia descontos de até 80% em produtos da marca, e o domínio só aceitava pagamento por PayPal. Obviamente, a promoção era falsa e enganou diversas pessoas.

Como forma de se proteger, especialistas da Check Point recomendam a verificação de autenticidade dos links. Eles informam que os usuários sempre devem estar atentos para domínios que apresentem erros de ortografia ou que ofereçam descontos muito altos em produtos caros.

Além disso, eles instruem que é recomendável procurar a promoção diretamente na loja da marca, isso serve para verificar a veracidade da oferta. Como as promoções são quase sempre enviadas por e-mail, os usuários também sempre devem verificar o remetente.

Fonte: Olhar Digital - 29/11/2019